Tristes notas européias

Posted on Dezembro 28, 2011

0


Portugal: Bom Natal e Pior Ano Novo!

O povo português não comemorou este Natal. Não houve fogos ou decoração natalina no Rossio ou no Comércio. Não havia muito a comemorar, talvez apenas a certeza, dita por todos, que o ano de 2012 será bem pior. O desemprego atingiu quase 11% dos poucos mais de cinco milhões de trabalhadores. Entre os jovens, o índice atinge quase 25%.

Lisboa – É quase impossível andar pelas ruas de Lisboa, tomar um taxi ou sentar-se em uma de suas muitas “esplanadas” sem que o assunto da crise econômica se faça presente. É um trauma nacional. Toda uma nação – e uma nação antiga, valorosa e trabalhadora! – foi colocada diante de uma realidade chocante: os homens, e partidos, responsáveis por sua administração não foram capazes de liderar o país em direção a uma vida melhor. Pior do que isso: não foram capazes se quer de conservar as conquistas e as garantias sociais que a geração passada construiu na
sua luta contra a ditadura salazarista.
TERMINE A MATÉRIA NA PÁGINA DA CARTA MAIOR – AQUI

Desemprego na França atinge nível mais alto desde 1999

Os últimos números sobre o desemprego na França, publicados antes do final do ano revelam um quadro devastador: o desemprego chegou ao seu nível mais alto desde 1999. A curva ascendente parece irresistível. As porcentagens reveladas pelo Ministério do Trabalho dão conta da existência de 2.844.800 pessoas desempregadas na França, o que equivale a 9,8% da população ativa. E as previsões para 2012 são de agravamento do problema. O artigo é de Eduardo Febbro.

A crise financeira está cobrando um tributo altíssimo do mercado de trabalho europeu. Nenhum país está ao abrigo da onda desencadeada a partir da Grécia com a crise da dívida, nem sequer duas das economias mais sólidas do Velho Continente, França e Alemanha. 

Os últimos números sobre o desemprego na França, publicados antes do final do ano revelam um quadro devastador: o desemprego chegou ao seu nível mais alto desde 1999. A curva ascendente parece irresistível. As porcentagens reveladas pelo Ministério do Trabalho dão conta da existência de 2.844.800 pessoas desempregadas na França, o que equivale a 9,8% da população ativa.
TERMINE A MATÉRIA NA PÁGINA DA CARTA MAIOR – AQUI 

Posted in: crise européia