O urbanismo blumenauense

Posted on Dezembro 19, 2010

0


Como escreveu a professora Maria Bernadete Ramos Flores, em Oktoberfest: Turismo, Festa e Cultura na Estação do Chopp, a reivenção urbanística blumenauense, a partir de final dos anos 1970, teve sua marca central no neo-enxaimel, ou seja, a cópia, simples, pura e sem pretensões de veracidade, ficção acerca de uma memória do passado.


Abaixo, dois exemplos de mudanças no centro da cidade, que mais uma vez é alvo de grandes alterações urbanísticas de viés autoritário, especialmente nesta 2a gestão de João Paulo Kleinubing


Pra que serviram tais mudanças? Arrisco dizer que foi, simplesmente, para melhorar a fotogênia do centro, construir a marca Blumenau, e sanar parte de seus problemas econômicos com base no turismo. E o respeito a cultura? Secundário. Bem secundário.


Essa era a antiga praça Hercílio Luz. A praça foi “derrubada” para ceder espaço as necessidades de incremento turístico da cidade, surgindo o Biergarten na década de 1980.




Atual Praça Hercílio Luz, ou Biergarten/Biergarden.




E aqui, onde está o atual prédio da prefeitura de Blumenau, a Estação Ferroviária de Blumenau, lá de 1909 até metade de 1950.

1930



final da década de 1920
1911
E hoje, neste local da antiga estação ferroviária, fica a prefeitura de Blumenau, carinhosamente apelidada de “Pombal” ou casinha de pombos.